Sunday, September 17, 2006

AMOR É...

Foi até ao Chão da Lage, sentou-se numa pedra, perto das amendoeiras. O sol estava ainda quente , das videiras pendiam grossos cachos de uvas já maduras e amou a beleza daquele local, a força das árvores em redor, os penhascos de granito que um pouco mais à frente se avistavam. E então , apercebeu-se que ele estava por ali também, estranhando vê-la, mas agradado por isso.


Lembrou-se de Amândio naquele último Natal que passaram juntos. Viu-o no fim do ano, frente à lareira, na tranquilidade dos seus 95 anos, a ler um livro que tinha de terminar nessa noite e recordou-o nessa forma de Amor que fora toda a sua vida. Amor pela Terra que lhe dava o pão e o sustento para a família , amor pelos sete filhos que sua mulher bem-amada lhe dera, amor pela natureza e pelos animais que o ajudavam na lavoura e que trazia aconchegados na loja , por baixo da casa, que os tempos eram difíceis , então. Tempos de guerra e de racionamento, as senhas do pão nunca chegavam para todos na aldeia e num acto de amor , era ele que ficava sem elas; tempos de denúncia e repressão em que recebiam instruções lá do governo de Lisboa para apontarem todos os que não fossem votar nas eleições no tempo em que não havia jornais nem rádio nem tv nem luz eléctrica e o partido era um só e Amândio , num gesto de amor preenchia os boletins e os cadernos eleitorais e votava por todos eles…

Quando Amândio caiu à cama doente , os filhos amorosamente revezaram-se para o tratar e cuidar , nunca esteve só . Até os netos, com muito amor, ficavam aos pares , fazendo turnos, quando foi preciso acompanhá-lo dia e noite.
E com muito amor , acompanharam-no à sua última morada, cheios de carinho e respeito pelo Avô, pelo Pai , pelo Homem mais velho da aldeia, conhecido pela sua rectidão, pelo seu Amor ao próximo, pelo Amor à Terra.



UM DESAFIO DO BLOG POSTAIS DE NOVALIS

14 comments:

António Rosa said...

Cá está. Vinha agradecer e sugerir que a reposta que deu à minha pergunta se transformasse num post aqui, mas já cá está.

Muito obrigado e um abraço.

Nuno Martins said...

gostei.

um beijo

perola&granito said...

:)

Bruxinhachellot said...

Um conto de amor muito emocionante.

Beijos cristalinos.

redonda said...

Vim retribuir a visita e porque aproveitei para passear um bocadinho por aqui, dizer que gostei muito do seu blog, pelas fotografias tão bonitas e pelos textos.

Um beijinho

avelana said...

antonio rosa
não deixaria de pôr aqui o post

mas obrigada pelo comment
um abraço

avelana said...

nuno martins

obrigada tb e um beijo

EuMulher said...

Avelana... fiquei muito contente ao ver o teu comentario no meu blog. Chegando ao stand podes perguntar pela Regina. Terei muito gosto em receber te Um grande beijinho

FOTOESCRITA said...

Estive na Guarda na 5ª feira passada e gostei do que vi. O pior foi o vento frio...

FOTOESCRITA said...

Bela esta paisagem e esta história.

canela_e_jasmim said...

Avelana, mais uma vez obrigada pela visita.è sempre um prazer vir aqui retribuir a visita e apreciar as coisas lindas que por cá abundam.
beijos

Pé de Salsa said...

Boa noite Avelana,

É muito bonita esta história de amor. E a ilustração está deliciosa.

Um abraço

Carla Silva said...

Lindo este post. Adorei as fotos e a descrição.
Beijinhos e uma boa semana.

Pequenina said...

que bela forma de retratar o amor. Gostei do que li. beijinhos