Saturday, May 12, 2007

PELOS ANIMAIS


Nós, humanos, somos os responsáveis por este trágico ciclo de reprodução, abandono e morte. É nossa responsabilidade combater o problema pela raiz.
Obviamente que o problema da superpopulação de animais não será resolvido de um dia para o outro, nem por decreto. Será naturalmente necessário percorrer um longo caminho. Nesse caminho, inclui-se a necessidade de ter canis/gatis municipais com condições dignas para os animais e a exclusão do abate como forma de controlo populacional. Outras medidas de uma política coordenada de controlo populacional incluem:
- informação e educação das pessoas que têm animais, no sentido de esterilizarem os seus animais e não os abandonarem
- punição eficaz a quem abandonar animais
- promoção de programas de esterilização públicos e privados
- promoção activa da adopção dos animais nos ganis/gatis
- desincentivo da venda de animais

Têm sido desenvolvidos com êxito programas de controlo populacional (sem recurso a abate de animais) em várias partes do mundo, incluindo países com escassos recursos financeiros como, por exemplo, a Costa Rica.
Não há nenhum motivo para que não se consiga fazer o mesmo em Portugal; o comodismo e a falta de competência não são desculpa.

Os vapores das comidas com carne obscurecem o espírito. Dificilmente pode ter-se virtude se se desfruta de comidas e festas em que haja carne. No paraíso terreno não havia vinho, nem sacrifício de animais e tão-pouco se comia carne.
São Basílio
A associação Pelos Animais criou uma petição
"Pelo Tratamento Condigno e Pelo Fim do Extermínio dos Animais em canis/gatis Municipais"
que foi apreciado pelo plenário da Assembleia da República no dia 4 de Maio.Poderá acompanhar o excelente trabalho desta associação
em:

http://www.pelosanimais.org.pt/iniciativas/peticao_canis
Conheça a resposta da Câmara Municipal da Guarda a uma petição da Assembleia da República

4 comments:

asn said...

Tenho acompanhado toda a polémica que se gerou à volta do abate descontrolado e insensível de cães no canil municipal de Beja.
Participei no coro de protestos.
Que fazer?
Pelo meu lado aqui está o meu contributo:
5 gatos duma ninhada que nasceu aqui mesmo ao lado num lote de terreno urbanizado mas sem construção; 2 cães; mais 2 gatos que vivem dentro de casa.
É humanamente impossível fazer mais.
A verdade, porém, é que se torna imperioso organizarmo-nos melhor.
António Nunes

Hanah said...

Avelana,

Tem um link maravilhoso com um manifesto pelo direito dos Animais....

Beijo e boa semana

Hanah said...

Manifesto pele libertação dos Animais


http://diplo.uol.com.br/2006-09,a1386

Pandora said...

Aqui em Viseu a ^Câmara manda os animais abandonados para o "Cantinho dos animais abandonados se Viseu".
Lá parece-me bem que as coisas não andam a correr da melhor forma, mas tem a ver com a direcção, e com podes ver num poste meu anterior também já se abateram vários animais saudáveis com a justificação de que estavam doentes. O problema é que não há provas, apenas o testemunho (à boca pequena , de uma voluntária, com medo de represálias porque já é velhota).Por outro lado esses animais estão todos bem, alegres, gordinhos, e em boxes.

Mandei mails para:
Diario de noticias
24 Horas
Diario do Alentejo
SIC
TVI
RTP
Aguardo respostas, se chegarem.
Beijos